Após divída divulgada Marisa se prepara para encerrar lojas; vai fechar?

A situação da Marisa é delicada, uma vez que a empresa está enfrentando dificuldades financeiras. Em fevereiro deste ano, a marca anunciou um processo de reestruturação com o objetivo de quitar uma dívida de quase R$ 600 milhões. Além disso, a empresa está negociando a venda de parte de seus direitos creditórios de natureza fiscal, tendo que fechar algumas lojas físicas por conta de aluguéis atrasados e também sofrido uma queda no valor de suas ações. Diante desses fatos, fica a dúvida se a Marisa conseguirá se manter aberta.

Queda após queda

Durante o mês de fevereiro deste ano, as Lojas Marisa divulgaram uma nota com seus resultados para 2022, nela foi revelado uma dívida líquida de R$ 566,1 milhões ao fim do terceiro trimestre. O mais impactante foi que a divulgação aconteceu em data próxima de outro balanço que impactou o mercado: o da dívida bilionária da Americanas.

Com o resultado divulgado, as ações da Marisa tiveram uma grande queda e motivaram o anúncio da contratação da BR Partners para ajudar na renegociação do endividamento e da Galeazzi Associados para rever sua estrutura de custos. Enfim, uma proposta robusta de reestruturação de toda a operação da empresa. Porém, o valor da companhia continuou caindo.

Marisa atualmente

A Marisa está passando por dificuldades financeiras e, embora a venda de seus direitos creditórios alivie um pouco a situação, pode não ser suficiente. Segundo relatórios do mercado do Neofeed e da Jovem Pan, a empresa planeja fechar até 25% de suas lojas e renegociar o aluguel de várias unidades em todo o Brasil, incluindo lojas de rua e em shoppings.

Atualmente, a Marisa possui 344 lojas físicas, sendo 163 delas de rua, e suas vendas digitais representam cerca de 7,4% do total. No terceiro trimestre, a empresa divulgou uma receita líquida de R$ 2,8 bilhões.

Desde a pandemia, a varejista vem tentando se reposicionar no mercado com iniciativas como novas lojas conceito e dark stores, mas mesmo com resultados positivos, a situação não se reverteu completamente. Além de sua rede de lojas, a Marisa também possui o Mbank, focado em crédito, que teve uma receita acumulada de R$ 566,1 milhões no terceiro trimestre de 2022.

Os próximos passos da Marisa

Os próximos passos da Marisa devem se concentrar no corte de custos e na eficiência operacional para equilibrar as finanças, de acordo com o CEO João Pinheiro Nogueira Batista. Em um mercado competitivo com a presença de concorrentes de fast fashion, como a Shein, a empresa deve encontrar uma estratégia para garantir sua perpetuidade no mercado antes de investir em novos modelos de negócios ou fontes de receita.

As concorrentes Renner e C&A já sofrem as consequências de não agir rapidamente. É importante destacar que o mercado de varejo ainda está se recuperando dos efeitos da pandemia, além de ser afetado pelo rombo das Americanas no mercado de crédito.

Portanto, a capacidade de identificar oportunidades em meio à crise e criar um plano ágil e alinhado às expectativas do público será fundamental para o sucesso. A Marisa, com sua história de mais de 70 anos, pode encontrar uma saída para pivotar e continuar no mercado.

Previous post Filhas solteiras de ex-servidores públicos geram prejuízo de R$ 3 bilhões aos cofres públicos
Next post Jornal Nacional perde quase metade da audiência em 20 anos
google.com, pub-1493856782872548, DIRECT, f08c47fec0942fa0