Portugal começa a dá auxílio de 90 euros às famílias carentes

Portugal começou hoje a pagar o primeiro apoio extraordinário trimestral às famílias vulneráveis, no valor de 90 euros, ele será pago a cerca de um milhão de famílias.

Em causa está uma das medidas extraordinárias de apoio ao rendimento das famílias e que consiste na atribuição de 30 euros por mês, pagos trimestralmente, com os 90 euros que vão ser pagos hoje a corresponderem ao primeiro trimestre deste ano.

Durante um comunicado divulgado esta quarta-feira, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social refere que o pagamento é feito por transferência bancária “a todos os agregados familiares beneficiários da tarifa social de energia elétrica e de prestações sociais mínimas, num montante global de 90 milhões de euros”.

Quando serão os próximos pagamentos?

Os próximos pagamentos, “igualmente no valor de 90 euros, serão realizados nos meses de junho, agosto e novembro”, refere a mesma informação, indicando que, no total do ano, os agregados abrangidos pela medida receberão miliares receberão um montante global de 360 euros.

Para que o valor chegue às famílias com perfil elegível é necessário registar ou atualizar o IBAN na Segurança Social Direta. Quem ainda não efetuou este passo, pode ainda fazê-lo, estando “garantido o pagamento retroativo do apoio após a respetiva atualização”.

Quem recebe o apoio do governo?

Este apoio destina-se às famílias residentes em Portugal que sejam beneficiárias da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), por referência ao mês de março de 2023, segundo indica a informação disponível no site da Segurança Social.

“Têm ainda direito a este apoio as famílias que não sejam beneficiárias da TSEE, mas em que pelo menos um dos elementos do agregado familiar seja beneficiário de uma das prestações sociais mínimas previstas ou em que uma das crianças seja titular de abono de família do 1.º ou 2.º escala”, é referido.

Vale lembrar que, são consideradas prestações sociais mínimas o rendimento social de inserção, o complemento solidário para idosos, a pensão social de invalidez do regime especial de proteção na invalidez, o complemento da prestação social para a inclusão, a pensão social de velhice e o subsídio social de desemprego.

100 mil brasileiros pediram para morar em Portugal em apenas um mês

Previous post Justiça obriga Ciro Gomes devolver R$ 350 mil ao Tesouro Nacional
Next post Brasileiros vão sustentar 40% dos gastos de Brasília em 2023
google.com, pub-1493856782872548, DIRECT, f08c47fec0942fa0