Globo enfrenta onda de repórteres reclamando de baixos salários; emissora divulga nota após polêmica

A Globo está enfrentando uma situação delicada em sua equipe esportiva, já que repórteres têm demonstrado interesse em fazer ações de merchandising em suas redes sociais para aumentar seus rendimentos por conta dos baixos salários. No entanto, a emissora permite apenas que narradores, comentaristas e apresentadores realizem publicidade.

A situação vem se tornando um problema, na última quinta-feira (9), a direção emitiu um comunicado repreendendo os repórteres e lembrando a orientação previamente dada após um caso de descumprimento.

Procurada pelo site UOL a Globo optou por não se pronunciar sobre o assunto.

Conforme apurado pelo site Notícias da TV, uma jornalista que trabalha em transmissões do SporTV viajou durante sua folga e marcou o hotel em que se hospedou para agradecer a estadia, o que foi considerado “jabá” – termo utilizado para descrever a obtenção de vantagens em troca de divulgação. Após comprovar que pagou pela viagem, a profissional recebeu apenas uma advertência.

O incidente levou Gustavo Maria, diretor de Redação do Esporte da Globo, a enviar um e-mail detalhado sobre o assunto. O executivo não citou a funcionária nominalmente e não enviou a orientação para todos os funcionários por e-mail – alguns só ficaram sabendo após a mensagem ser compartilhada entre colegas no WhatsApp.

“É imprescindível que o jornalista do Grupo Globo evite a percepção de que faz publicidade, mesmo que indiretamente, ao citar ou se associar a nome de hotéis, marcas, empresas, restaurantes, produtos, companhias aéreas etc. Isso também não deve acontecer em contas de terceiros, e o jornalista deve zelar para evitar tais ocorrências”, consta nos Princípios Editoriais.

Repórteres reclamam dos baixos salários

Um recente levantamento feito pelo Notícias da TV mostra que, em um ano e meio, pelo menos sete repórteres esportivos da Globo pediram demissão ou foram desligados. São eles: Fernando Saraiva, André Hernan, Lizandra Trindade, Marco Aurélio Souza, Ana Helena Goebel, Guido Nunes e Eudes Junior.

Com exceção, literalmente, de Marco Aurélio Souza, que saiu para cuidar da saúde, todos os outros tinham queixas em comum: a falta de mais oportunidade e de crescimento na emissora, e salários baixos para trabalhar na reportagem. Quem saiu sempre tinha uma opção melhor no radar.

Previous post Governo quer passagens áreas a R$ 200 para aposentados, servidores públicos e estudantes
Next post Portugal deve dar autorização de residência a 100 mil brasileiros, veja detalhes
google.com, pub-1493856782872548, DIRECT, f08c47fec0942fa0