Narrador demitido da Globo entra com ação por assédio e pede R$ 4,6 milhões, entenda

Em outubro de 2021, Linhares Júnior foi dispensado da Globo, onde havia trabalhado por 13 anos, e agora ele entrou com uma ação na Justiça do Trabalho alegando assédio moral por parte de um chefe do departamento de esportes que o chamou de “ultrapassado”, a acusação entra como assédio moral.

O valor total da ação é de R$ 4,6 milhões e Linhares também busca outros direitos, como controle do tempo de jornada de trabalho e multa por desrespeito ao intervalo de interjornada. Apesar de contatada, a emissora preferiu não comentar o processo. O site Notícias da TV teve acesso exclusivo ao documento, que foi protocolado na última quarta-feira, dia 12.

Procurado pela coluna, o narrador confirmou o processo, mas não deu detalhes. A Globo não comenta casos que estão na Justiça. A primeira audiência entre as partes está marcada para 29 de junho. Na ocasião, poderá haver um acordo, ou as partes serão ouvidas para que seja dada a sentença.

Na ação, o narrador alega o que já havia contado em entrevista ao Notícias da TV em dezembro de 2021. Na ocasião, o locutor disse ter sido humilhado pouco antes do desligamento ao ser chamado de “narrador ultrapassado” por George Guilherme, gerente de futebol da emissora.

Acontecimentos e assédio:

“Após a saída dos antigos nomes que estavam no SporTV, como o Raul Costa Jr., e também com a chegada de outros gestores, comecei a notar que perdi espaço. E comecei a pedir para o George mais oportunidades em partidas da Série A, em eventos importantes”, disse o jornalista esportivo.

A situação permaneceu tensa até outubro de 2021, quando o narrador pediu uma reunião com George Guilherme, que ocorreu em 22 de outubro. De acordo com o relato do narrador, foi durante essa reunião que ocorreu o alegado assédio moral.

Ao pedir novamente mais oportunidades de trabalho no SporTV, Linhares Júnior teria ouvido de Guilherme que ele seria um narrador ultrapassado, com um estilo antigo e que não cabia mais na TV atualmente.

“Eu me coloquei à disposição para ir ao Rio de Janeiro, onde se tem mais estúdios para transmissão, e ouvi que era um narrador com um estilo antigo e ultrapassado. Me senti humilhado. Fiz a denúncia na ouvidoria da Globo e, 20 dias s depois, fui chamado para uma reunião. Falei com um amigo: ‘Ou irão me dar uma bronca ou vão me demitir’. Me demitiram”, relatou.

Questionada na ocasião sobre a denúncia feita por Linhares Júnior, a Globo alegou que o desligamento já estava previsto.

O desligamento do narrador foi uma decisão exclusivamente de gestão, prevista desde julho. Sobre as perguntas a respeito de compliance, a Globo não comenta assuntos da ouvidoria, mas reafirma seu total compromisso com a apuração compromisso com a apuração criteriosa de todo relato de assédio, moral ou sexual, assim que a empresa toma conhecimento.

Previous post Brasileira será julgada na Indonésia e poderá ser fuzilada ou ter prisão perpétua
Next post Poupar despesas? Globo informa aos repórteres que eles próprios farão as filmagens, entenda
google.com, pub-1493856782872548, DIRECT, f08c47fec0942fa0