Conheça a jovem militante de esquerda que fingia ser de direita e confessou propagar fake news

Uma das táticas mais conhecidas da esquerda é inverter os papéis. Eles xingam e acusam os ofendidos de ódio, atacam e se fazem de vítimas quando há um contra-ataque, sempre assim. Sem essa tão conhecida tática esquerdista, eles não seriam nada. Além disso, os fascistas (que nem sabem o que é fascismo) são os que eles atacam, sendo que muitas vezes o ataque parte deles.

Durante a campanha eleitoral de 2022, a revista Veja fez uma entrevista sobre uma jovem esquerdista chamada Marina Mamedes (foto), de 32 anos, que mora no interior do estado de Minas Gerais. Ela se dizia apoiadora de Jair Bolsonaro (PL). Uma das táticas mais geniosas dela, segundo a introdução de texto da revista, são as notícias falsas.

As notícias propagadas por Marina Mamedes vão desde declarações até apoio contra o candidato que ela odeia, Jair Bolsonaro. Em 2022, sua missão não foi outra: ataques ao candidato do PL que concorria ao segundo mandato. Ataques esses que varreram as redes sociais e ela não estava sozinha. Segundo a Veja, junto a ela havia uma equipe de jovens militantes produzindo as fake news.

Em um de seus vídeos (com milhões de efeitos) como apoiadora fake de Bolsonaro ela se mostrava arrependida e afirmava ter descoberto que seu ídolo havia sucumbido a tentações anticristãs e se aliado à maçonaria.

“Não consigo descrever para vocês a minha tristeza. Eu sempre fui fiel a Deus e ao nosso capitão. E hoje eu acordei com uma das piores notícias da minha vida. Jair Messias Bolsonaro, o nosso capitão, é da maçonaria”, diz ela. E depois conclui de forma “mágica”: “Lula é um verdadeiro cristão”.

Ela, caso não saiba ou naõ goste de lembrar, Lula no passado chamou a cidade de Pelotas de “exportadora de veados”, em outra ocasião o atual chefe do exercutivo se referiu ao sexo feminino de “grelo duro”. E mais recente, durante a campanha presidencial de 2022, em entrevista ao podcast Flow, o então candidato falou contra a comunidade trans.

Sobre o vídeo da “influenciadora” a revista que a entrevistou chamou de “peça”, e foi visualizada mais de 350.000 vezes no TikTok.

Veja a seguir o vídeo, ela é uma boa atriz até, Netflix vai perder esse talento? (volto após a encenação).

O mais triste de tudo isso, é que a nova geração tem nesses aplicativos de vídeos rápidos sua fonte de informação e não apenas de entretenimento.

Na entrevista dada a Veja, a esquerdista que adora uma fake news, justifica as notícias falsas que propaga da seguinte forma, “Antes, a esquerda passava muito tempo tentando desmentir as fake news difundidas pela extrema direita. Abrimos vantagem quando invertemos esse papel. Desta vez, foi a base bolsonarista que ficou perdendo tempo tentando justificar as pautas que nós lançamos”, disse ela que, talvez sem querer, confessou propagar fake news.

E ela continua a propagar as “verdades” da mente:

Na cabeça da jovem militante eles (os “influenciadores”) tiraram Bolsonaro da presidência da República. Esquece ela de forma, ingênua provavelmente, que o atual presidente foi solto por um dos ministros indicados e colocado no STF pelo PT.

Texto: Paulo Gustavo

Previous post Marina Silva protagoniza racha na sigla e Heloísa Helena é reeleita
Next post Economize dinheiro e ganhe praticidade com a CNH Digital; confira como tirar a sua
google.com, pub-1493856782872548, DIRECT, f08c47fec0942fa0